sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

DIZEM POR AÍ...


Dizem por aí que tudo, com o tempo, se vai aprendendo. Dizem que você aprende a conhecer certas coisas e lidar com elas conforme vai envelhecendo, vivendo e experimentando. Mas se tem uma coisa que eu ainda não aprendi é deixar de me apaixonar.

Sei que o coração fica cansado, molinho, batendo fraco e em outros casos, parece rocha. Mas ainda assim, eu continuo a me apaixonar. 

Pode parecer uma sina, um azar, uma saga que passa de uma trilogia literária. Pode ser! Mas mesmo que meu coração esteja como está, eu sei que ele ainda sabe bater porque é ele que me diz que devo esperar e nunca, jamais, deixar de esperar pelo amor. Que seja ele vindo na forma de uma outra pessoa, seja ele na forma de mim mesma, quando me olho no espelho todas as manhãs. Eu poderia me apaixonar por mim! Como eu poderia!

Dizem por aí, que quando você se decepciona uma vez que em nenhuma outra você quer repetir o engano. Mentira. Você até pode não querer, mas, acaba repetindo. Sabe porquê? Porque somos assim, vivemos assim, numa busca alucinada pelo amor, pela paixão e somos capazes e saltar das alturas por uma fagulha que seja dessa experiência. 

Ah, dizem por aí que beber uma taça de vinho todas as noites acalma o coração. Mentira. Esquenta, ferve e você chora. Chora sozinho ou acompanhado mas você lamenta, quer, corre, luta, esperneia por paixão. Pode se passar milênios que o seu coração, o meu, o do seu vizinho, continuará nesse tormento de se apaixonar porque nascemos pra isso, nascemos para amar e mesmo que você pense que aprendeu tudo, logo o amor bate na tua porta e você percebe na prática que não aprendeu nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário